Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura
apresentam

CopaFest 5

IMG_7257 copy

O CopaFest V juntou mais uma vez experiência e inovação. Clássicos se juntaram ao que existe de mais novo na Musica Instrumental Brasileira.

Eumir Deodato e uma big band abriram o festival mostrando todo seu arsenal de suingue à brasileira. Deodato deu um show de virtuosismo e mostrou ser o grande mestre dos arranjos.

Na noite seguinte Kassin acompanhado de uma grande banda apresentou composições inéditas em um trabalho que respirava experimentalismo, sem perder o seu acento pop. E por falar em experimentalismo o grupo Sinkansen tem em sua formação a melhor tradução de sua qualidade: Toninho Horta, Marcos Suzano, Jaques Morelenbaum e Liminha.

Na noite de encerramento, Pepeu Gomes com uma superbanda misturou rock, samba e chorinho em um show onde ninguém conseguia ficar parado. E, pra fechar o Baile, o grande Wilson das Neves trouxe aquele toque de gafieira, marca registrada da cidade do Rio de Janeiro nas suas noites de festa.

O CopaFest V foi a confirmação de que a Musica Instrumental Brasileira precisava de um espaço próprio para levar ao público todo o talento de nossos músicos, compositores e arranjadores. A cada edição vimos a celebração dessa arte que tem empolgado os brasileiros por ser genuína, nascida do povo e a mais perfeita definição do que é a arte multicultural brasileira.

O CopaFest VI vem aí trazendo grandes nomes do passado e do futuro. Porque o CopaFest acredita e faz parte do processo de renovação constante da Musica Instrumental Brasileira.