Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura
apresentam

CopaFest 4

ArthurVerocai

A quarta edição do CopaFest, que aconteceu entre os dias 20 e 22 de outubro de 2011, colocou o Copacabana Palace em festa. O festival recebeu grandes nomes da música instrumental brasileira e comprovou ser um dos principais cenários voltados para o estilo musical.

A primeira noite do festival protagonizou um encontro entre antigos parceiros. O show instrumental da dupla Mauro Senise, na flauta e no saxofone; e Gilson Peranzzetta, no piano, reviveu a obra de Edu Lobo. O compositor homenageado subiu ao palco na metade da apresentação, colocando voz em melodias que antes eram tocadas pelo sopro de Senise.

O baile do CopaFest, no dia 21 de outubro, retirou quase todas as mesas do Salão Cristal para dar lugar aos passos do baile. Clube do Balanço, banda de São Paulo especialista no sambalanço, começou uma noite que entrou pela madrugada adentro no Rio de Janeiro. O show instrumental do grupo de oito músicos foi preparado especialmente para o festival a pedido do curador do CopaFest, Bernardo Vilhena.

Mas nem deu tempo de parar a dança. O coletivo Vinil é Arte assumiu o som do salão e continuou a festa com suas bolachas. Os DJs mantiveram a linha musical de baile, revivendo alguns clássicos da música instrumental das décadas de 1960 e 1970. A grande sala continuava cheia: o público esperava por Lincoln Olivetti.

Acompanhado de uma super banda, Olivetti comandou o baile do CopaFest. Com a guitarra de Davi Moraes, o baixo de Kassin, os teclados de Donatinho, e a percussão de Peninha, o “mago do pop” relembrou composições do xará Ed Lincoln, considerado o “Rei do Bailes”dos anos 1960.

A última noite de festival, dia 22 de outubro, marcou o reencontro de um maestro com os cariocas. Arthur Verocai reuniu uma orquestra com 14 músicos no palco e protagonizou uma apresentação emocionante em sua terra natal. Como o próprio afirmou durante o show, ele nunca havia realizado um show com tal estrutura no Rio de Janeiro.

E ninguém melhor que Airto Moreira para fechar o CopaFest 4 em altíssimo nível. Junto com a banda Eyedentity, que tem como membros sua filha Diana Booker e o marido Krishna Booker, o percussionista deu uma aula de experimentação sonora. A fusão de gêneros como o drum and bass, o forró, o hip-hop e a world music fizeram a plateia vibrar.
Com diversos instrumentos de percussão a sua volta, Airto Moreira tocou com o ritmo e a precisão de um mestre. Era a celebração dos seus 70 anos de vida, completados em agosto deste ano.

A quarta edição do festival que contempla a música instrumental brasileira manteve o alto nível das anteriores. O Copacabana Palace virou, mais uma vez, uma casa para os grandes instrumentistas do país.