Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura
apresentam

CopaFest 3

destaque-copafest3

A terceira edição do CopaFest trouxe a inspiração latina para brindar com a música instrumental brasileira.

O Festival começou com os inventivos arranjos da Banda Mantiqueira, vencedora de um Grammy. Valorizando mais a sonoridade do conjunto do que a individualidade, o grupo trouxe em seu roteiro altas doses de Pixinguinha, Tom Jobim, Jacob do Bandolim, Ernesto Nazareth, Guinga, Dorival Caymmi, além de composições dos arranjadores e instrumentistas Nailor Azevedo (o Proveta) e Edson Alves.

O bandoneonista argentino Hector Del Curto cativou a todos com sua música, inspirada nos mestres do tango Astor Piazzolla e Osvaldo Pugliese. Conhecido ao redor do mundo como solista e músico de câmara, já foi elogiado pelo New York Times, que o chamou de “músico magnífico”.

O saxofonista, produtor, compositor e arranjador, Leo Gandelman abriu a segunda noite do Festival. Sua mistura super versátil de música brasileira com jazz animou o público, mostrando todas as razões que fizeram o artista lotar por seis temporadas o famoso clube nova-iorquino de jazz Blue Note.

Dom Salvador Sexteto fechou a edição 3 do CopaFest com uma brilhante apresentação, trazendo a referência de Dom Salvador, músico radicado em Nova York, e sua intimidade com o samba-jazz. Dom Salvador se apresentou trazendo a inspiração renovada do som do Beco das Garrafas.

E, seguindo a tradição, o coletivo Vinil é Arte comandou suas pick-ups com uma coleção de vinis surpreendentes e músicas descoladas.

Faça o download da Revista CopaFest 3